Você já fracassou? Talvez mude de opinião após ler este texto

August 13, 2018

Desde cedo somos condicionados a pensar que para tudo só existem dois extremos: certo e errado, bem e mal, bonito e feio, claro e escuro, sucesso e fracasso, e por vai . É como se o mundo fosse tão simples a ponto de haver somente duas interpretações para tudo o que nos acontece e nos cerca.

 

Neste sentido, somos levados a crer que quando não atingimos aquilo que se espera de nós, fatalmente receberemos o rótulo de fracassados. Ou estamos certos e as coisas fluem com perfeição ou tudo falhou. Assim, pais fracassam na educação dos filhos, parceiros fracassam na manutenção de um relacionamento afetivo, projetos que não dão dinheiro ou ganham a mídia viram um fiasco e todo esforço para passar num concurso público  parece ter sido em vão.

 

Bom, mas acredito que não é bem por aí. Estamos esquecendo da nossa condição de humanos, que inclui errar, acertar pela metade, ou também até considerar que a vida é uma construção e você, uma metamorfose ambulante.

 

Diante dessa perspectiva, e por experiências próprias, cheguei à conclusão de que fracasso é somente uma palavra. Na verdade, não fracassamos e sim chegamos somente até onde éramos capazes com os recursos que tínhamos. É esse tal “fracasso” o pedágio para o crescimento. Tudo o que você fez até hoje e que não surtiu os resultados que você queria não pode ser encarado como fracasso, mas sim como experiência para sua evolução pessoal. Só de agir e fazer sua parte, você pode se considerar um vencedor.

 

Se um casamento não deu certo, por mais que você tenha se equivocado em muitos pontos, com certeza você só ofereceu o que podia naquele momento, mesmo que não tenha sido suficiente para salvar a relação. Se você apostou todas as fichas num negócio, sonhou, planejou, trabalhou muito e mesmo assim ele não deslanchou, você certamente não fracassou. Simplesmente fez tudo o que podia naquela situação, sem saber que não seria o bastante.

Vejo muitas pessoas remoendo um grande sentimento de culpa por não ter atingido certo patamar na vida profissional ou ter perdido o que mais tarde concluíram que seria “o amor da sua vida”. Esse sentimento de fracasso só piora a situação. Num nível de compreensão mais amplo acabamos entendendo que não é preciso se cobrar com tanta rigidez. O que passou, passou. E se você não fez mais ou melhor é porque naquele momento não tinha a visão ou os recursos físicos e psicológicos necessários para ir além. Então, está tudo certo, relaxe.

 

Meu convite para você é de que olhe para o passado com distanciamento e gratidão suficientes para analisá-lo sob essa nova perspectiva. Você fracassou mesmo? Ou na verdade fez o que pôde? Não podemos mudar o passado, mas fazer as pazes com ele é fundamental para seguir em frente sem o fardo da  autocrítica e autocobrança.

Quando tive este “estalo” praticamente tirei o peso de uma tonelada das minhas costas. Volta e meia me lembrava das coisas que não saíram como planejei, dos projetos que não tiveram a conclusão que eu esperava e das relações pessoais e profissionais que não vingaram como eu queria e colocava tudo na conta do"Fracasso”.

 

Mas percebi o quanto é valorosa a ressignificação das nossas experiências, mesmo aquelas que o olhar comum considera ruins. Repito: somos seres humanos em processo de evolução. E isso por si só nos dá o “desconto” de que na maioria das vezes nos negamos.

Fica a lição: dê o seu melhor em tudo o que faz, em tudo o que se envolve. Seja criativo, coloque energia, invista seus recursos, gaste seu tempo e capriche o máximo que puder. Mas se os resultados não forem o que você esperava, pegue leve com você. Sempre haverá uma segunda chance para aqueles que não se deixam abater pela ideia de fracasso. Viver já é uma vitória!

 

Fabiano Latham 

Life coach e escritor, autor de "Agora Vai"

 

 

 

 

 

Please reload

9 LIÇÕES DE 
MOTIVAÇÃO

EU QUERO! 

Posts recentes
Please reload

Inscreva-se na LISTA VIP